De acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), os trabalhadores gostariam de escolher onde e em que horário trabalhar

Pesquisa: brasileiros desejam flexibilidade na rotina de trabalho

Os brasileiros querem poder escolher seu horário de trabalho, gostariam de ter flexibilidade para trabalhar de casa, e ainda dividir os 30 dias anuais de férias em mais de dois períodos. Esses foram os principais apontamentos da pesquisa Flexibilidade no mercado de trabalho, realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), em parceria com o Ibope.

Quando o assunto é o horário de trabalho, sete em cada dez brasileiros (71%) gostariam de poder adequar a rotina às próprias necessidades. A pesquisa mostra, no entanto, que são justamente os trabalhadores do mercado formal, isto é, que têm carteira de trabalho assinada, os que menos conseguem exercer essa vontade: dos entrevistados, apenas 38% dizem ter flexibilidade, contra 76% dos empregados em atividades informais.

O mesmo cenário se repete quando se pergunta sobre a possibilidade de escolha do local de trabalho. Enquanto 73% das pessoas ouvidas afirmam desejar trabalhar de casa ou num ambiente alternativo à sede da empresa, apenas 42% dos trabalhadores com carteira assinada têm essa possibilidade. Por outro lado, 74% daqueles que trabalham fora do mercado formal usufruem de maior poder de escolha quanto a onde realizar suas atividades produtivas (veja abaixo).

Brasileiros desejam flexibilidade na rotina de trabalho

Maioria dos brasileiros deseja escolher local de trabalho

A pesquisa mostra ainda que 58% dos entrevistados gostariam de reduzir o intervalo de almoço e, em contrapartida, sair mais cedo para, por exemplo, evitar o horário de pico no trânsito, enquanto 63% concordariam em trabalhar mais horas por dia para poder tirar folgas depois.

A pesquisa também apontou que 53% dos trabalhadores gostariam de ter poder dividir as férias em mais de dois períodos. Em relação ao vale-transporte, 62% prefeririam recebê-lo diretamente em dinheiro. Perguntados se em períodos de crise aceitariam realizar acordos de redução da jornada e de salário com o empregador para manter o emprego, 43% responderam que aceitariam.

Para conhecer todos os resultados, acesse. O Ibope entrevistou 2.002 pessoas, em 140 municípios, entre os dias 18 e 21 de setembro de 2015.

Fonte: CNI